27 de out de 2016

em são paulo
matula,
de moacir amâncio


Lançamento: 31 de outubro | de 19 às 21h | Casa Guilherme de Almeida | Rua Macapá, 187 - Sumaré
Leitura de textos e comentários de Antônio Vicente Pietroforte

"Matula parte dos encontros entre Moacir Amâncio, paulista de Pinhal, e o poeta português da Covilhã, Ernesto Manoel de Melo e Castro, primeiro em Lisboa, depois em São Paulo. Experiências análogas, relacionadas à herança cultural dos cristãos-novos, ou "bnei anussim", provocam questões e inspirações que levam por sua vez a múltiplas e surpreendentes perguntas, numa ambígua celebração babélica.  É a partir daí que o autor monta uma espécie de constelação de textos que permitem uma simbiose entre passado e presente como se o tempo fosse um conjunto aos olhos do poeta que expõe esse panorama caleidoscópio ao leitor, para que este da sua parte detecte os pontos que lhe permitam montar a sua própria rede de significados. E isso pode envolver tanto o indivíduo quanto a mudança no enfoque da situação em que ele se encontra, produzida pela história, pois a história é um dos fatores que poderão ou deverão ser reeditados sob perspectivas suprimidas pelas oficialidades de plantão através dos tempos e contidas na linguagem. Não se trata de mudar o passado, mas de percebê-lo através das frestas deixadas pelos que o construíram tendo como princípio uma visão monolítica, unidirecionada pela sistemática negação dos outros. É desse material, em parte, que o autor extrai a sua poesia, expressa na vivência do eu lírico deste livro, um longo poema formado por muitos poemas, os fragmentos daquele caleidoscópio movido pela mão de um autor que se destaca na produção literária brasileira contemporânea, como um desafio à leitura — ou à releitura". [José Roberto Barreto Lins, editor]

"Como conceber uma poesia edênica? A resposta poderia ser: produzindo uma genealogia das coisas como se fosse uma genealogia da linguagem. Podemos dizer que essa perspectiva genealógica, vivida e encarnada por Moacir Amâncio ao longo de sua trajetória como poeta, confirma-se especialmente neste novo livro". [Rodrigo Petronio, poeta]

©cristóvão tezza

Sobre o autor
Moacir Amâncio é autor de Ata (Record, 2007), que reuniu seus seis livros de poemas publicados até então mais inéditos, além de ensaios como Dois Palhaços e Uma Alcachofra (Nankin, 2001) e Yona e o Andrógino — notas sobre poesia e cabala (Nankin/Edusp, 2010) mais a antologia por ele organizada e traduzida  de poemas do israelense Ronny Someck sob o título de Carta a Fernando Pessoa (Annablume, 2015). Também traduziu Badenheim 1939, de Aharon Appelfeld (Amarilys, 2012) e participou da tradução dos poemas de Tal Nitzán incluídos no livro O Ponto da Ternura (Lumme, 2013), dentre outros projetos.



falso trajeto, de
fabio weintraub







o livro que não escrevi,
de anderson borges costa







em cabo frio
poesia de cena: oficinas,
com artur gomes e andré garcía







em campinas
I encontro com autores:
alex sens & isabela noronha,
finalistas do prêmio são paulo de literatura







na web
curso de poesia à distância,
por claudio daniel


O Laboratório de Criação Poética realizará um novo curso de poesia à distância, via internet (Skype), ministrado por Claudio Daniel, abordando a poesia de Fernando Pessoa, João Cabral de Melo Neto e Paulo Leminski, entre 02 de novembro e 15 de dezembro.

As aulas acontecerão em vários horários: SEGUNDAS-FEIRAS, das 14h às 15h30; TERÇAS-FEIRAS, das 11h às 12h30; QUARTAS-FEIRAS, das 14h às 15h30 e das 20h às 21h30; QUINTAS-FEIRAS, das 16h às 17h30 e das 20h às 21h30; SEXTAS, das 16h às 17h30 e SÁBADOS, das 15h30 às 17h. Cada aluno fazer quantas aulas por semana quiser, nesses horários.

A mensalidade será de R$ 130,00.

Inscrições e informações pelo e-mail claudio.dan@gmail.com




em belo horizonte
paixão por correr, de
afonso cappai de castro


No livro, o autor, de 71 anos, conta os benefícios da prática, enaltecendo sua paixão pela vida. Corredor amador há 36 anos, Afonso Cappai de Castro compartilha também a sua pretensão de percorrer a distância da Linha do Equador, ou seja, 40.075 km.

A inspiração de Afonso para escrever a obra foi a busca pelo bem-estar. Narrando como melhorar sua expectativa e qualidade de vida, mesmo com os compromissos e com o dia a dia corrido, o autor inspira o leitor a sair de sua zona de conforto.

Contando, em primeira pessoa, a própria história e experiências com as corridas, Afonso passa um ensinamento por meio de seu livro: é preciso, literalmente, correr atrás da vida, que pode passar num piscar de olhos. Uma das formas de aproveitá-la é apreciando Paixão Por Correr, que, além de entreter, transforma o nosso modo de olhar a rotina diária.

Sobre o autor
Afonso Cappai de Castro é formado em Administração de Empresas, Pós-Graduado em Marketing e Metodologia do Ensino Superior. É consultor empresarial, palestrante motivacional, escritor e corredor de ruas amador há 36 anos. Trabalhou durante 28 anos na indústria automobilística, nas áreas de marketing e vendas.  Nos últimos dez anos trabalha em Gestão de Processos, na área de atendimento.

Serviço
Paixão por Correr, de Afonso Cappai de Castro
Editora Autografia
160 páginas
14 x 21 cm
R$ 38,00




vago universo, de
elcio lucas