16 de mai de 2016

em belo horizonte
maura lopes cançado: a transcendência
pela palavra, por célia musilli


17 de maio | 20 h | entrada franca
Rua Rio de Janeiro, 1046 - Centro




sobre pessoas normais,
de marcela dantés


 
A obra tem prefácio do romancista Assis Brasil, texto de orelha de
Daniel Galera e o lançamento será no dia 19 de maio, na Casa Ateliê

Marcela Dantés vê na escrita uma forma de ressignificar o mundo, organizar as ideias, e, sobretudo, o exercício de uma necessidade. A autora não esconde que escreve porque precisa, para além de um ofício. Em seu livro de estreia, ela expressa em formato de contos um pouco da sua observação constante e intensa de tudo. Sobre pessoas normais será lançado no dia 19 de maio, na Casa Ateliê (Rua Gonçalves Dias, 3182, Santo Agostinho), a partir de 19 horas. Os livros serão comercializados no dia do lançamento e também estão em pré-venda no site da Editora Patuá [www.editorapatua.com.br].

Com um leque de influências que passa por Guimarães Rosa, Valter Hugo Mãe, José Luis Peixoto, Marçal Aquino, Raduan Nassar, Hilda Hilst e David Foster Wallace, Marcela relata que sempre escreveu, sua paixão pela escrita caminha junto com sua curiosidade de leitora. Mas foi em 2014, durante a participação na Oficina de Criação Literária, ministrada em Porto Alegre, pelo romancista e contista Luiz Antonio de Assis Brasil, que ela começou a vislumbrar o universo da literatura como um ofício. Assim nasceu seu primeiro livro Sobre pessoas normais.

A autora explica que nessa coletânea de contos há textos escritos em vários momentos de sua vida, e a decisão de aglutinar tudo em um livro, veio a partir da oficina. Assis Brasil é conhecido no meio literário como forjador de novos escritores, muitos nomes da literatura brasileira contemporânea participaram de sua oficina, como Cíntia Moscovich, Michel Laub, Carol Bensimon e Daniel Galera, e seguem publicando suas obras.

Em relação ao título do livro, que também dá nome a um dos contos, a autora relata que foi para expressar esta dicotomia da normalidade humana. "As pessoas são fantásticas e todas elas têm coisas incríveis para contar, passaram por situações intensas, inverossímeis, maravilhosas. Eu trabalho tentando descobrir essas histórias e construir novas que, mesmo que estejam na ficção agora, poderiam estar na vida real em algum lugar", detalha.


Sobre pessoas normais
No prefácio, Assis Brasil destaca a singularidade da escrita de Marcela Dantés. "O que lemos em Sobre pessoas normais é a vida, que explode sem programação nem anúncios, quando não esperávamos por isso, e estávamos 'somente' fascinados pela leitura. Sucede que, de singela, vai se tornando mais e mais complexa,  aumentando a tensão dos nervos do leitor e forma um vulcão à beira de irromper em lavas", comenta.

Daniel Galera, que assina o texto de orelha, chama atenção para a delicadeza do texto da autora. "Sobre pessoas normais é uma estreia vigorosa de uma escritora que entende os caminhos para narrar de maneira extraordinária. Provas disso são a sua atenção constante às sensações e aos objetos que coloca em cena, a empatia com que constrói os personagens, a recusa ao sentimentalismo", ressalta completando que "isso é grande literatura".


Sinopse
Uma senhora que foge de casa em busca do passado; uma presidiária que escreve para o companheiro declarando seu amor; um homem doente que narra a rotina do hospital; a noiva que presencia um atropelamento a caminho da cerimônia de casamento, o goleiro que se vê diante do artilheiro em uma cobrança de pênalti, em meio a disputa mais que uma partida de futebol, um antigo amor. As histórias se desenham num tempo urbano e contemporâneo, com detalhes de cena que também narram os momentos vividos pelos personagens. Nos desenlaces singelos e atordoantes, o leitor pode mergulhar numa realidade permeada de afeto e violência, profundamente humana e imersa em doses de ambiguidade.


Sobre a autora
Marcela Dantés nasceu em Belo Horizonte, em 1986. É formada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais, pós-graduada em Processos Criativos em Palavra e Imagem pela PUC Minas e concluiu, em dezembro de 2014, a tradicional oficina de criação literária de Luiz Antônio de Assis Brasil, na PUC Rio Grande do Sul. Atuou por cinco anos como redatora publicitária, mas descobriu que prefere as palavras na literatura. Já alimentou e assassinou alguns blogues e cultiva em segredo uma pasta digital gorda de contos e outros rabiscos. No tempo livre, gerencia um escritório de design, um marido e dois cachorros. Sobre Pessoas Normais é seu primeiro livro.


Serviço
Lançamento do livro Sobre pessoas normais, de Marcela Dantés
Data: 19 de maio
Horário: 19 horas
Local : Casa Ateliê (Rua Gonçalves Dias, 3182, Santo Agostinho)
Valor do livro: R$ 38,00
Entrada gratuita




nos porões da loucura
baseado em livro de hiram firmino
direção de luiz paixão







no rio de janeiro
jogo de varetas, um livro de guerra,
com manoel ricardo de lima


 
ato de fala com leitura de textos provocado por uma montagem-em-disposição do livro Jogo de varetas: exemplares furados e tensionados num cabo de guerra vermelho furioso que corta toda a sala e dispara uma ameaça política e ambivalente desse livro entre o amor e a guerra.


Manoel Ricardo de Lima é poeta, professor da Escola de Letras e do PPGMS na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO. Publicou Falas Inacabadas [um livro-transparência com a artista visual Elida Tessler — Tomo Editorial]; os livros de poemas Embrulho, Quando todos os acidentes acontecem, Geografia Aérea e Um tiro lento atingiu meu coração [todos pela Editora 7Letras]; os livros de ensaios Entre Percurso e Vanguarda — alguma poesia de P. Leminski [Annablume], Fazer, Lugar — a poesia de Ruy Belo [Lumme Editor] e "A forma-formante: ensaios com Joaquim Cardozo" [EdUSFC]; o romance "As Mãos" [7Letras] e o livro de narrativas Jogo de Varetas [7Letras]; publicou o livro para crianças Maria quer o mundo [SM Edições]. Organizou as coletâneas A visita [com Isabella Marcatti, Editora Barracuda] e A nossos pés — poemas para Ana Cristina Cesar [Editora da Casa]. Coordenou a edição da poesia completa de Ruy Belo no Brasil [Editora 7Letras] e coordena a coleção Móbile de mini-ensaios [Lumme Editor]. É co-autor do argumento e do roteiro do longa-ficção LINZ — quando todos os acidentes acontecem [com Alexandre Veras]

OI FUTURO IPANEMA
terça, 17/05 – 18h




leituras imperdíveis,
com alexandre brandão







em iracemápolis, sp
luiz biajoni coordena criação
de clube literário


marcelo maluf | divulgação

Iniciativa vai levar escritores à cidade para conversar com leitores

A Prefeitura de Iracemápolis, por meio da Coordenadoria da Educação, vai promover uma série de encontros com escritores e leitores visando à criação de um Clube Literário na cidade. A iniciativa nasceu depois que o escritor Luiz Biajoni ministrou uma oficina literária que teve grande repercussão em Iracemápolis. Em conversas com o prefeito, Valmir Almeida, e a vice-prefeita, Denise Martin, Biajoni sugeriu que os iracemapolenses interessados em literatura tivessem a oportunidade de ouvir e conversar com alguns dos mais importantes nomes da literatura nacional e, na sequência, criassem um Clube Literário para encontros "O leitor é, geralmente, solitário", diz Biajoni. "É meio como o escritor, que tem o fazer artístico mais solitário do mundo, em silêncio com suas palavras. A ideia de um clube literário é quebrar um pouco isso, juntar gente que escreve e lê e deixar que conversem um pouco", explica.

No total serão seis encontros, com entrada totalmente gratuita, que vão ocorrer todas as quintas-feiras, a partir do dia 19 de maio, na Biblioteca Municipal (Rua Dom Pedro II, 171, Centro), das 19h às 21h.

A abertura, no dia 19 de maio, será com o escritor barbarense radicado em São Paulo. Marcelo Maluf, professor de criação literária, autor do elogiado A Imensidão Íntima dos Carneiros (Editora Reformatório, 2015). Maluf irá falar sobre os livros que leu e escreveu e como a literatura pode mudar para melhor e vida do leitor comum. No dia 26 de maio o encontro não vai acontecer por conta do feriado de Corpus Christi, voltando na outra quinta-feira, dia 2 de Junho.

Entre os autores que também irão participar dos encontros estão: Alex Castro (carioca, autor de Mulher de um Homem Só e Outrofobia, entre outros), Sérgio Biscaldi (campineiro, roteirista e autor do infantil As Cores do Esquisito) e Verena Cavalcante (limeirense, autora do livro de contos Larva). Os escritores locais serão convidados para debater com os autores visitantes.

Os interessados podem se inscrever antecipadamente na Biblioteca Municipal (tel.: 19 3456-5517) ou ainda pessoalmente, no dia 19 de maio.




em são paulo
sempre um papo,
com lira neto







virada da poesia
na casa das rosas