17 de nov de 2015

no rio de janeiro
desesterro,
de sheyla smanioto








caso varig,
de marcelo duarte lins
[a história da maior tragédia
da aviação brasileira]





pele de todos os sangues
sarau dos sambistas


           
Em diferentes encontros, um grupo de sambistas pensou: por que não temos espaço, nas rodas de samba, para apresentar nossas obras literárias? Por que não reunir manifestações artísticas tão próximas?

O Sarau dos Sambistas surge, em 2014, com a finalidade de divulgar as atividades literárias de um coletivo de compositores do samba carioca. A ideia de realizar um sarau vai ao encontro das tendências atuais de multiplicação dos saraus artísticos na cidade do Rio de Janeiro, como um espaço democrático e de muita troca de versos, livros, conhecimentos. O sarau não se fixa numa sede; é itinerante e já percorreu diversos espaços, como bibliotecas, centros culturais e eventos ao ar livre.

Pele de todos os sangues se propõe a mostrar, em prosa e verso, com o mote dos 450 anos do Rio de Janeiro, ao fundo, mas sob um ponto de vista outro, um pouco desse talento já cantado em tantas letras e músicas pelas rodas de samba da cidade de São Sebastião, o nosso Oxóssi.

Vai dar poesia! Vai dar samba! Compõem o time do Sarau dos Sambistas, atualmente: Haroldo Cesar, Kaju Filho, Manuela Oiticica, Marcelo Bizar, Onesio Meirelles, Rodolfo Caruso, Valter Rodrigues e Zeh Gustavo.





em mariana, mg
electra, de eurípedes
trad. tereza virgínia ribeiro barbosa








em belo horizonte
arrumar as gavetas,
de flávia de queiroz lima



Sarau na Academia com a poeta Flávia de Queiroz Lima

Dia 17 de novembro, terça-feira, às 19h30, acontece mais uma edição do Sarau na Academia. Na ocasião, a poeta carioca Flávia de Queiroz Lima apresenta o livro Arrumar as Gavetas, que vem acompanhado de um CD com os poemas gravados na voz da autora e de outras artistas convidadas.

Terça-feira, 17 de novembro de 2015
Horário: 19h30
Entrada gratuita





reuniões públicas para alteração
da lei municipal de incentivo à cultura
do conselho municipal de política cultural








em são paulo
o catador eletrônico,
de fernando portela




Recado do Fernando Portela:

Na próxima quarta-feira, 18/11, na Casa das Rosas (Avenida Paulista, 37), às 19 h, será lançado o livro de reportagens O Catador Eletrônico.

O repórter sou eu, meu nome está lá na capa, mas o livro foi feito por muito mais gente: toda a equipe do Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente, que patrocina a edição, junto ao Laboratório de Sustentabilidade (LASSU) da Escola Politécnica (Poli) da USP, com apoio de outras entidades, inclusive a Petrobras; o projetista gráfico Nicolás Sueldo; o fotógrafo Roberto Lajolo; os autores da versão em inglês (o livro é bilíngue); e, sobretudo, os catadores/personagens que entrevistei ao longo dos últimos meses.

O Catador Eletrônico versa sobre catadores de materiais recicláveis que se especializaram em recolher rejeitos eletrônicos, como computadores, para vendê-los, após desmontá-los. Agora, além da comercialização de peças, estão reconstruindo máquinas, tornando-as seminovas. Uma evolução surpreendente.

Estarei lá para os autógrafos, mas haverá também uma exposição de fotos de todo esse trabalho, sobretudo nas cooperativas de catadores, quase sempre localizadas nos extremos da cidade de São Paulo, no chamado Brasil Real.

O lançamento trará, também, uma surpresa, iniciativa inédita: o livro é grátis. A intenção dos patrocinadores é apresentar o catador eletrônico a um grande número de pessoas. A estratégia de usar a preservação do meio ambiente como incentivo à criação de um novo, seguro e rentável mercado de trabalho, merece divulgação e análise. Espero você de braços abertos.





conexões itaú cultural
o olhar do outro:
a recepção da literatura brasileira




8º Encontro Internacional Conexões Itaú Cultural — Tema do encontro: O Olhar do Outro: A Recepção da Literatura Brasileira

Na última década, ultrapassando as barreiras do idioma e os rótulos do exotismo, escritores nacionais têm alcançado novos públicos em países estrangeiros. Para debater esse cenário, nos dias 19 e 20 de novembro os escritores Ana Paula Maia, Daniel Galera, Milton Hatoum e Ricardo Lísias encontram, no Itaú Cultural, em São Paulo, os tradutores e pesquisadores que levam sua obra ao exterior.

Participam do evento, junto com os escritores mencionados, os pesquisadores Anélia Montechiari Pietrani, que abordou a obra de Ana Paula Maia; Consuelo Rodríguez Muñoz, que, em seu doutorado, se focou na obra de Milton Hatoum; e Karl Erik Schøllhammer, que, em um dos seus livros, trata da obra de Ricardo Lísias. Além deles, as tradutoras Petra Bös — que traduziu Divórcio, de Ricardo Lísias, para o alemão e Safa Jubran, que verteu ao árabe Dois Irmãos, de Milton Hatoum.

Também compõem as mesas os professores Gonzalo Aguilar e José Luiz Passos e os consultores do Conexões: Fernanda Guimarães, Felipe Lindoso, João Cezar de Castro Rocha e Rita Palmeira.

Saiba mais na página www.itaucultural.org.br/programe-se/agenda/evento/o-olhar-do-outro-a-recepcao-da-literatura-brasileira/. Na aba programação, as minibiografias de cada participante do encontro.

O programa Conexões Itaú Cultural mapeia a presença da literatura brasileira no exterior desde 2007. Veja histórico com vídeos, entrevistas e mais informações no blogue conexoesitaucultural.org.br.

. Local: Itaú Cultural – Av. Paulista, 149 – piso 3 (sala vermelha)
. Data: 19 quinta e 20 sexta de novembro. Horários: veja programação
. Entrada franca. Ingressos distribuídos nos dias das atividades, a partir das 14h30, na bilheteria do instituto.