11 de jun de 2015

no rio de janeiro
o frágil toque dos mutilados,
de alex sens








em são paulo
o feroz círculo do homem,
de carlos nejar









bloomsday 2015






em belo horizonte
sentidos [exposição],
de leandro gabriel


Exposição Sentidos, de Leandro Gabriel, oferece experiência sensorial para deficientes visuais. O evento marca a comemoração dos 50 anos do Setor Braille da Biblioteca Pública Estadual Luiz Bessa, em Belo Horizonte (MG) Praça da Liberdade, 21 – 2º andar - Funcionários

Ver apenas com os olhos é uma ação muito limitada do que os sentidos podem oferecer. A experiência sensorial é algo único e passa despercebido por quem se firma em enxergar apenas com os olhos e a arte, assim como a visão, nos oferece uma infinita possibilidade de interpretações e sensações peculiares e pessoais. Como forma de oferecer essa experiência ímpar e facilitar o acesso a obras de arte, a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, em parceria com a Secretaria de Estado de Minas Gerais, abre ao público a exposição Sentidos do escultor mineiro Leandro Gabriel.

O evento de abertura acontece no dia 11 de junho e a exposição vai até 11 de julho.

Por um mês, a mostra gratuita apresenta a oportunidade aos visitantes de refletir sobre as diversas formas de percepção. A experiência sensorial será com as obras produzidas a ferro e a fogo de Leandro Gabriel que, apesar do aspecto rústico, transmite de variadas formas a delicadeza de suas criações. Essa é uma oportunidade para uma novas sentidos e percepções de quem não pode ver com os olhos a textura, mas sim, por meio do tato.

Para essa exposição, o artista exibe oito obras, sendo sete delas parte de seu acervo particular e por isso, nunca expostas. Serão sete peças em pequeno formato e uma de grande porte. Além da exibição, no dia do evento de abertura haverá um dinâmico bate-papo para a interação do artista com o público.

Comemoração

A exposição faz parte das comemorações dos 50 anos do Setor Braille da Biblioteca que nesse período, facilitou o atendimento ao deficiente visual na orientação de pesquisas e estudos para o acesso à informação e à literatura por meio de audiolivros e livros em braille. A ação é uma forma de inserção das pessoas com deficiências visuais ao acesso sociocultural. A mostra foi idealizada pelo coordenador do Setor Braille, Glicério Ramos e pelo coordenador das Galerias de Arte da Biblioteca, Ricardo Girundi.

"Devemos mudar a forma de ver a arte no Brasil. Precisamos criar exposições onde se transmitam a outras pessoas a essência das obras que não podem ser vistas por pessoas cegas e de pouca visão", ressalta Girundi. O coordenador ainda enfatiza o objetivo da mostra de torná-la mais interativa no uso de outros sentidos, seja por meio da fala, do toque ou do cheiro, por exemplo.