5 de dez. de 2019

em são paulo
intempestiva #02







atrás do baú de guardados,
de lenita estrela de sá







queria falar dos dias apressados,
de dyl pires







meridiano à margem: literatura de hoje
num contexto de anteontem,
com gustavo matte e marcelo labes
e mediação de bruna meneguetti







em poços de caldas
bruno filisbert: crônicas da vida do
mestre dos pintores de poços de caldas,
de chico lopes







em salvador
sérgio rabinovitz



4 de dez. de 2019


em são paulo
poesia +, de edimilson de almeida
pereira e rastros, de tarso de melo







quadro de força,
de fabio weintraub







três anos da editora primata







em são paulo e rio de janeiro
um circo de rins e fígados: o teatro
de gerald thomas


Dia 11 de dezembro, quarta-feira, a partir das 20 h, no Sesc Avenida Paulista, o diretor e dramaturgo lança Um Circo de Rins e Fígados: O Teatro de Gerald Thomas, Edições Sesc, livro que reúne suas 24 peças encenadas no Brasil. Dia 12 de dezembro, haverá lançamento no Rio de Janeiro, no Arte Sesc: Rua Marquês de Abrantes, 99 F. Em ambos, com leitura de trechos da obra por atores, bate-papo com o público e debate, que em São Paulo será com Dirceu Alves Jr. e, no Rio, com Luiz Felipe Reis.



em porto alegre
o enxerto do takaká & outros textos,
de walter smetak e edição de
edson migracielo


Mais conhecido pelas inovações musicais nos campos da improvisação, da microtonalidade e da criação de instrumentos, o suíço-baiano Walter Smetak (1913-1984) legou-nos também uma vasta produção literária. Seu acervo de manuscritos compreende, ainda hoje, dezenas de obras inéditas. No próximo dia 5 de dezembro acontece o lançamento do livro O enxerto do Takaká & outros textos, com uma seleção de escritos inéditos de Smetak, organizado pelo escritor e pesquisador Edson Migracielo. O evento acontecerá no Glória Bar e Drinkeria (Luiz Afonso, 549) a partir das 19h30 e com entrada franca.

Fruto de quatro anos de pesquisas dos originais smetakianos, o livro O enxerto do Takaká & outros textos reúne escritos de diferentes gêneros, apresentados pelo organizador. Poesia, ensaio, crônica, diário/memórias, cartas, dramaturgia, considerações musicais e até algumas extrapolações romanescas — tudo isso entremeado por ilustrações do próprio Smetak e imagens fac-similares de seus manuscritos. Desenvolvido desde 2015 por Migracielo, o projeto Desengavetando Smetak é uma iniciativa que procura resgatar esses registros, para trazer uma nova amostra do pensamento e da poesia deste inquieto explorador sonoro que se autointitulava um "decompositor contemporâneo".

Os textos que compõem o livro são transcrições dos originais, e procuram preservar a linguagem de um falante nativo do alemão que descobriu o português somente aos 24 anos de idade. A edição conta ainda com um prefácio do compositor Tuzé de Abreu, que foi amigo e parceiro musical de Smetak, além de um posfácio de Migracielo.

Sobre Walter Smetak
Suíço de Zurique, chegou ao Brasil em 1937, aos 24 anos. Recém formado em violoncelo pelo Mozarteum de Salzburgo, ele desembarcou em Porto Alegre contratado pela orquestra da Rádio Farroupilha. Entre 1937 e 1939, participou da orquestra da Rádio Sociedade Gaúcha e do Trio Schubert, além de lecionar violoncelo no Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul. Em 1941, estabelecido no Rio de Janeiro, por dez anos atuou como instrumentista na Orquestra Sinfônica Brasileira, Rádio Nacional, Tupi, Guanabara e Teatro Municipal. Em 1954 mudou-se para São Paulo, atuando como membro da Orquestra Sinfônica do Estado, trabalhando também nas Rádios Record e Bandeirantes. Paralelamente, desenvolveu importante trabalho como luthier, construindo e consertando instrumentos de corda. Em 1957, aceitou o convite do compositor e regente Hans Joachim Koellreutter (1915-2005) para lecionar violoncelo nos seminários livres de música da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador. A partir daí, teve início a jornada de descobertas sonoras e espirituais que fizeram de Smetak uma das principais referências na pesquisa da microtonalidade, da improvisação e da música experimental, com participação decisiva nas ideias musicais da geração baiana que empreendeu a Tropicália.



em belo horizonte
um presente para sempre,
de olavo romano


12 de dezembro, às 19h30, na Academia Mineira de Letras:
Rua da Bahia, 1466 - Centro




o mexidão:

20 anos do desde 1999!,
com adriana versiani dos anjos & cia.








em recife
clarice na mídia: literatura, audiovisual
e redes sociais




1 de dez. de 2019

em belo horizonte
roca,
de inês campos







imersão cultural:
AI-5 censura nunca mais
+ tempo de liberdade,
de maria delboni + sarau







em são paulo
intolerância,
de rafael ruiz


A Editora Patuá e o Patuscada — Livraria, Bar & Café convidam todos para o lançamento do livro Intolerância, romance de Rafael Ruiz. O evento, gratuito, será realizado no dia 5 de dezembro (quinta-feira), a partir das 19 h, no Patuscada — Livraria, Bar e Café: Rua Luís Murat, 40 - Vila Madalena. O exemplar estará à venda por R$ 40,00 (pagamentos em dinheiro e cartões de débito e crédito).




babylonia blues — relatos delirantes,
de franklin valverde


A Editora Patuá e o Patuscada — Livraria, Bar & Café convidam todos para o lançamento do livro Babylonia Blues — relatos delirantes, de Franklin Valverde. O evento, gratuito, será realizado no dia 6 de dezembro (quinta-feira), a partir das 19 h, no Patuscada — Livraria, Bar e Café: Rua Luís Murat, 40 - Vila Madalena. O exemplar estará à venda por R$ 40,00 (pagamentos em dinheiro e cartões de débito e crédito).




expo sarau poesia expandida:
coletivo balbúrdia







ademir assunção & buena onda reggae club:
zona de conforto


8 de dezembro, de 18 h às 19h30, no SESC Belenzinho:
Rua Paula Adelino, 1000

Zona de Confronto é o encontro da poesia contundente e atualíssima de Ademir Assunção com a atmosfera lúbrica da música de matrizes jamaicanas, cubanas, africanas e brasileiras da banda Buena Onda Reggae Club. Mas não apenas isso.

Fruto de trajetórias artísticas paralelas, o show celebra a aproximação do trabalho de ambos e soa, o tempo todo, dançante, forte, vibrante. E se surpreende pela irresistível mescla de ritmos e dicções com que textos e sons são entoados simultaneamente, também o faz por abrir novas possibilidades para as duas linguagens, estimulando a percepção do público tanto para a potência da palavra falada como para a variedade instrumental de climas, timbres e texturas do septeto paulista.

De um lado, a obra poética de Ademir Assunção, que mantém relação estreita com a oralidade, explorando cadências diversas e imagens intensas, com predominância de temas urbanos, existenciais e políticos. Do outro, a música do Buena Onda, que finca raízes no reggae e ska, com pitadas de salsa, jazz, afrobeat e gêneros brasileiros.




na web
promoção da editora patuá:
pacote surpresa > 10 livros = 50,00


Além da Black Friday, com 50% de desconto no catálogo da Patuá, a editora criou uma promoção incrível: o Pacote Surpresa, com 10 títulos, por apenas R$ 50,00. São livros novos e, também, sucessos de seu acervo, livros premiados, livros que ganharam editais.

Para não perder essa: clique aqui.

29 de nov. de 2019


em uberaba
talvez eu tenha morrido,
de juba maria


A Editora Feminas e a Fundação Gregório E. Baremblitt convidam todos para o lançamento do livro Talvez eu tenha morrido (poemas), de Juba Maria, orelha de Sara Braga e quarta capa de Valquécia Costa.

"Em seu primeiro livro de poesia, Juba Maria tirou o sofrimento guardado dentro de uma caixa de madeira e, talvez, encerrado em seu próprio peito. Em páginas que lavam a alma, deu voz, assim, a Inés e a outras tantas mulheres anônimas, oprimidas pela violência. Talvez eu tenha morrido expressa a dor, escondida entre escombros, de uma bailarina que desejou a morte, mas já se sentia morta e ao mesmo tempo esperançosa com a fantasia de que poderia, um dia, reerguer-se de mãos dadas com outras mulheres". (Trecho do texto da quarta capa, de Val Costa.)

O evento será realizado no dia 30 de novembro (sábado) a partir das 16h30, durante o seminário "Saúde Mental à Luz do Espelho", que começa às 13h30, na Fundação Gregório F. Baremblitt: Rua Capitão Domingos, 418 - Abadia.

A entrada para o evento é gratuita, mediante a contribuição de 1 kg de café e o exemplar estará à venda por R$ 35,00 (pagamento em dinheiro ou transferência bancária). O valor obtido com a venda do livro durante o evento será revertido em projetos de apoio a mulheres, do qual participam ou apoiam, além de Juba Maria, Valquécia Costa, Fabiana Oliveira, Sheila Belisario, Ketry Kellen, Lu Mendonça, Roberta Reis, Prettamoreno dos Gangas, Eliana Cristina Rosa, Evilene Patez e tantas outras.

Leitoras e leitores de qualquer cidade do país podem comprar pelo site da editora, é só clicar aqui.




em brasília
a duras penas,
de edna rezende








tudo que não cabe no poema,
de wélcio de toledo


A Editora Patuá e o Tombado Cultural Bar convidam todos para o lançamento do livro Tudo que não cabe no poema (poesia), de Wélcio de Toledo. O evento, gratuito, será realizado no dia 5 de dezembro (quinta-feira), a partir das 19 h, no Bar Tombado: CLN 206, Bloco D, Asa Norte. O exemplar estará à venda por R$ 38,00 (pagamentos em dinheiro de crédito).

Clique aqui para comprar.




no rio de janeiro e são paulo
agora (depois),
de thássio ferreira


"Cantar o amor é uma predestinação dos poetas. Quando esse mesmo amor acaba (por concluir ou não seu ciclo), o poeta corre o risco de cantar ainda mais — e melhor. No seu terceiro livro, Thassio Ferreira faz mais do que poetizar as dores provocadas pela ruptura de uma relação amorosa. Ele expõe de forma corajosa todo o vazio desse não lugar que ocupamos quando não mais pertencemos a outrem (nem quiçá a nós mesmos)" — texto da orelha, do poeta Christovam de Chevalier.

Em seu terceiro livro de poemas, Thássio Ferreira desnovela a linha do tempo de uma história de amor, de trás para frente, em 52 poemas organizados em duas partes: um agora (depois) instalado com a separação; e o "agora" anterior, do início do relacionamento até sua crise. Dividindo esses dois tempos, um retrato em prosa do momento fatal em que o barco se desamarra do cais.

Entre referências e epígrafes que remetem a Caio Fernando Abreu, Herbert Vianna, Drummond, O Mágico de Oz, Marvin Gaye, Jards Macalé, Tulipa Ruiz, Clarice Lispector e Peninha, o poeta "canta como quem parisse espinhos, sem meias palavras. E, assim, brinda-nos com textos de forte riqueza imagética. Como se o leitor não tivesse nas mãos um livro, mas uma tela sobre a qual são projetadas cenas reais, tamanho o despudor do que é narrado/cantado", ainda segundo Christovam de Chevalier.


sua escova e eu

sua escova de dentes
tem sentido saudades
o que é bom pra mim:
ocupo-me em adestrá-la
à sua ausência
— tão larga que sequer
esperou você partir
para ocupar a casa


versículo

lavar de si a dor
depois de aprender seu evangelho


estrofe a G.B.N.

não consigo te orgasmar a ver
nem saberia mesmo nomear
e menos poderia, com minhas
brutas e emocionadas mãos
tecer, de fios de sonho, plenitude e ar
a pulsacionice que a pura existência
do teu amor faz em mim vibrar


Thássio Ferreira, escritor radicado no Rio de Janeiro, é autor de (DES)NU(DO) (Ibis Libris, 2016) e Itinerários (Ed. UFPR, 2018 —  obra vencedora do I Concurso Literário da editoria universitária). Foi editor e curador da Revista Philos de Literatura Neolatina. Tem poemas e contos publicados em revistas e antologias, como Revista Brasileira (nº 94), da Academia Brasileira de Letras e Antologia Prêmio Off Flip 2019. Publicado nas revistas Escamandro, Gueto, Mallarmargens, Ruído Manifesto, Germina, Revista Ponto (SESI-SP), Vício Velho, InComunidade (Portugal).

Lançamentos
dia 07/12, das 16 h às 20 h, no Galeria Café: Rua Teixeira de Melo, 31, Loja E, Ipanema, com leitura de poemas pelo autor e os/as poetas Paulo Sabino, Christovam de Chevalier e Hélen Queiroz;
dia 10/12, das 19 h às 23 h, no Patuscada — Livraria, Bar & Café: Rua Luís Murat,40 - Vila Madalena.

Autografia Editora (selo Bem-te-li)
Poesia
100 páginas
R$ 30,00
Pré-venda: clique aqui.


Contatos
Thássio Ferreira – (21) 99426-3532




em são paulo
asabeça cabeça que voa,
de ricardo carranza & cia.







em belo horizonte
quem dera o sangue fosse só o de
menstruação,
org. débora ribeiro e maíra vasconcelos


7 de dezembro, de 17h30 às 21h30, no Bar Yanã: Rua Niquelina, 765 - Santa Efigênia

Lançamento da antologia poética e de artes visuais, Quem dera o sangue fosse só o da menstruação, organizada por Débora Ribeiro e Maíra Vasconcelos, editada pela Urutau (a ilustração acima faz parte da antologia e é de autoria da Fernanda Mota).

Vamos ter também e juntxs
:
Intervenção fotográfica de Marília Fiúza e Mayara Laila.

Fotografias em preto & branco de mulheres e seus corpos, impressas em tecido, com tinta vermelha jogada por cima que vai escorrer uma vez que o pano estará na vertical. O tecido foi escolhido como suporte por ser algo que cobre os nossos corpos, que os esconde, que enxuga o nosso suor e o nosso sangue, e era usado antigamente pelas mulheres como absorvente.

*
Intervenção poética Os outros são eles, de Júlia Elisa (Preta Poeta)
Tempo de duração: 10 a 15min.

A performance visitará produções poéticas da autora e instigará o público para a potência da palavra e dos gestos intuitivos para acessar uma sabedoria selvática, que recusa a domesticação e dominação do corpo e vivência de uma mulher negra.
*
Intervenção do movimento mineiro "Quem Ama Não Mata" — contra as violências de gênero.
*

A antologia será vendida durante o evento.



elegia de descuidos,
de laércio j. pereira




25 de nov. de 2019


em são paulo
a idade de ouro do brasil,
de joão silvério trevisan







sarau dos homenageados,
com renato de mattos motta,
rubens jardim & cia.


Última edição do ano do Gente de Palavra Paulistano. Dia 3 de dezembro, às 19h30, no Patuscada — Livraria, Bar & Café: Rua Luís Murat, 40 - Vila Madalena.




em salvador
o nome do mapa e outros mitos
de um tempo chamado aflição,
de clarissa macedo







em sertânia
festival literário internacional
do sertão - flis:
homenagem a wilson freire







em caicó
XI mostrarte,
com ana santana clemente & cia.


Programação
Dia 04/12 - às 19 h - Casa de Cultura
Adesão dos novos poetas à galeria dos cordelistas.
Palestra: "A história do Cordel e sua Ascensão", com Professor Lourival Andrade Jr.

Dia 05/12 - às 19 h - Casa de Cultura
Lançamento do livro Sertão e Poesia do poeta Agostinho Santos e lançamento de Cordéis dos poetas veteranos
Animação musical: Antônio Filho e Trio Bagaço

Dia 06/12 - às 19 h - Casa de Cultura
Noite da poesia: entrega de certificado; premiação do concurso de poesia; lançamento de Cordéis dos novatos e sarau com poetas locais. Participação de Jadson e Davi Lima
Animação: Grupo Bom da Peste-Currais Novos

Dia 07/12 - a partir das 18 h - Centro Cultural
Vernissage dos alunos de Júlia Medeiros; exposição do Espaço Arte e Letramento;
Feirinha Caicó Mostra Caicó.
Às 20 h - Espetáculo teatral: O nascimento de Jesus nas quebradas do sertão
Às 21 h - Show Musical: Grupo Regional Sertão Matuto

Dia 08/12 - às 20 h - Palco do Teatro
Coral Canto Caá
Espetáculo teatral: O nascimento de Jesus nas quebradas do sertão

Obs.: todas as noites o barzinho Café do Cuó estará vendendo bebidas e comidas regionais.

Realização
Associação União do Sobrado

Apoio Cultural
Governo do Rio Grande do Norte
Fundação José Augusto - FJA
Centro Cultural Deputado Adjuto Dias
Casa de Cultura Popular de Caicó
Movimento Artistas na Gestão Cultural