26 de out de 2017

em joão pessoa
música é da rua com dario junior,
kennedy costa & linaldo guedes


Música É da Rua estreia na Praça da Paz com show de Dario Junior & Carlyto Campos
e a poesia de Linaldo Guedes


Coordenado pelos artistas Dario Junior e Kennedy Costa, o projeto Música é da Rua tem sua primeira edição neste sábado (28) no anfiteatro Poeta Lúcio Lins, localizado na Praça da Paz, no bairro dos Bancários, em João Pessoa. A abertura terá recital poético de Linaldo Guedes, às 18 horas, e depois shows de Dario Junior & Carlyto Campos. O projeto será apresentado uma vez por mês no mesmo local.

Segundo os organizadores do evento, o projeto Música é da Rua pretende trazer para a cena artística da Paraíba poetas, músicos e compositores independentes que, mesmo diante das dificuldades enfrentadas, mantêm uma produção de grande importância e qualidade e que orbita na periferia dos grandes projetos artísticos desenvolvidos pelos canais oficiais ou financiados por empresas e grandes corporações privadas.

O projeto tem como objetivo principal promover uma maior integração da comunidade com os projetos musicais independentes produzidos na Paraíba, apresentando músicos, compositores e poetas que persistem com seus trabalhos artísticos. O projeto se desenvolverá mensalmente com a participação de dois músicos por apresentação e com a abertura de cada show sendo feita por um poeta convidado para recitar no inicio do evento.

A Banda Dario Junior & Carlito Campos tem formação atual de violão, guitarra e percussão. Iniciou suas atividades em 2015, lançando vários clipes/ensaios na internet com composições autorais de Dario Junior e participação na abertura dos 60 anos da UFPB no Espaço Cultural- Funesc-PB e, recentemente, com show no Projeto Unipê com Música, coordenado por Zezita Matos.

A Banda tem raízes profundas que se estendem até a década de 80, quando se chamava Grupo Sanguíneo, nascida em meio a movimentos políticos e culturais da época e inserida em projetos livres de música, como o Musiclube da Paraíba e atividades artístico-culturais importantes no Círculo Operário em Jaguaribe e bairros da Capital. Fez shows cênicos musicais memoráveis no Teatro Lima Penante (Reversi); Hotel Globo (Que morra a gia), na época funcionando como um point cultural da cidade, e uma série de excursões a Campina Grande e outras cidades.

Dario Junior e Carlyto Campos sempre estiveram à frente da banda, produzindo músicas autorais e concepções cênico-musicais, juntamente com a atriz e vocalista Eliete Matias, componente da banda e a participação mais recente do ator e poeta Edilson Dias, num recital poético, e do percussionista Erandi Oliveira.

Dario Junior é músico/compositor com muitos trabalhos artísticos desenvolvidos na Paraíba. Fez vários shows musicais, tais como: "Reverso" (1984), "Na Contramão dos Dias" (1985), "Revolta dos Anjos" (1986), "Que Morra a Gia " (1988), "Lúmpen" (1992), "Pulsando" (1995) e outros. Lançou o CD Pulsando com 11 músicas de sua autoria e criou, juntamente com Carlyto Campos, o "Grupo Sanguíneo". Compôs trilhas sonoras de peças teatrais que serviram de repertório para as apresentações da banda e os vários estilos musicais sempre perpassaram ritmos variados como blues, reggae, maracatu, afoxé, samba jazz, rock e outros. Atualmente, pesquisam ritmos variados do Jazz ao afoxé e apresentarão no repertório do show atual, músicas autorais emblemáticas de Dario Junior, como: Cem vezes eu te faria flor, Poesia, Nada de novo no front, Homem 2000, Um carro na contramão e Festa do Folclore.

Linaldo Guedes é jornalista e poeta. Nasceu em Cajazeiras e como jornalista atuou nos principais órgãos de comunicação da Paraíba. Como escritor, já lançou quatro livros de poesia: Os zumbis também escutam blues e outros poemas (A União/Texto Arte Editora, 1998), Intervalo Lírico (Editora Dinâmica, 2005), Metáforas para um duelo no Sertão (Editora Patuá, 2012) e Tara e outros Otimismos (Editora Patuá, 2016). Em 2015, lançou Receitas de como se tornar um bom escritor, pela Chiado Editora, de Portugal. Projeta para 2018 lançamentos dos livros Cabo Branco e outros lugares que não estãono mapa (poesia) e O Nirvana do Eu (dissertação de mestrado em Ciências da Religião sobre a influência do Budismo na poesia de Augusto dos Anjos).

O Projeto Música é da Rua se desenvolverá com shows mensais e será gerido pelos próprios músicos em regime de cooperação, ficando por conta da plateia contribuir financeiramente com qualquer quantia em dinheiro na passagem do chapéu, no final de cada show. Os equipamentos de som e iluminação do palco também serão disponibilizados cooperativamente, ficando cada participante, músicos, poetas, apoiadores, imbuídos de contribuírem utilizando seus próprios equipamentos pessoais para que junto aos outros, façam parte da construção geral do Show no Anfiteatro da Praça da Paz. Em novembro, as atrações serão Kennedy Costa e Tony Leon (música) e Bento Júnior (poesia).




no rio de janeiro
carne de umbigo,
com maria rezende


Último dia de Carne de Umbigo!

Maria Rezende apresenta textos de seus três livros em espetáculo
com recital de poemas, performance ao vivo e videoarte

Depois de passar por Lisboa, Porto, Ovar, Barcelona e Salvador, Carne do Umbigo despede-se da temporada carioca nessa quinta-feira, dia 26 de outubro, com apresentações na Casa Rio. Com texto, concepção, direção e atuação da carioca Maria Rezende, o espetáculo mistura recital de poemas, performance ao vivo e videoarte.

Carne do Umbigo leva para o palco poemas dos três livros de Maria Rezende (Substantivo Feminino, Bendita Palavra e Carne do Umbigo) recitados de forma contemporânea, informal e cotidiana. Versos que captam um inconsciente coletivo pulsante do feminino, falam de olhar para a cidade e para dentro de si, e revelam a maturidade de quem viveu amores, perdas e aprendeu a se reconhecer e redescobrir.

Como cenário, fotos de Ana Alexandrino de partes do corpo da própria autora são projetadas na parede. Videopoemas editados pela poeta — que também é montadora de filmes e séries de televisão — costuram a performance e trazem a força do audiovisual, com trilha sonora de artistas contemporâneos brasileiros. Com ambientação de Lara Cunha e figurino de Mel Akerman, o espetáculo tem uma hora de duração.

A temporada Carne do Umbigo em Casa terá 15% da renda revertida para "Uma Casa para Vera". A campanha de arrecadação online, tocada por Maria Rezende, tem como meta proporcionar cidadania para Vera Reis, que se encontra em situação de rua após ter sido demitida sem receber seus direitos trabalhistas e não conseguir se reinserir no mercado. A iniciativa é parte do programa Habitação Primeiro, da ONG Projeto RUAS, inspirado no método "Housing First", política pública adotada em vários países do mundo, que defende a moradia como primeiro passo nas mudanças de vida de quem se encontra na rua.

Sobre Maria Rezende
Maria Rezende é poeta, performer, montadora de cinema e televisão e celebrante de casamentos. Publicou os livros Substantivo Feminino (2003), Bendita Palavra (2008) e Carne do Umbigo (2015). Por sua poesia, recebeu elogios de nomes como Manoel de Barros, Eduardo Galeano e Ferreira Gullar. "É poesia substantiva mesmo. A mulher inteira dentro das palavras. Poesia é fenômeno de linguagem do que de ideias. Isso você sabe. Sendo assim, você é poeta", elogiou Manoel de Barros sobre seu livro de estreia.

Em seus quase vinte anos de vida literária, apresentou-se com sua poesia por todo Brasil, Portugal e Espanha. Seu trabalho encantou o escritor Marcelino Freire, que diz na orelha de Carne do Umbigo: "Tua poesia, mulher, me faz caminhar. Sem peso, sou depois dela, para a eternidade, um outro sujeito. Minha costela, meu esqueleto. Eu te mando meus ossos por completo. Toda vez que te ouço recitar teus versos. Eu fico bambo, bobo. Fico elétrico".


CARNE DO UMBIGO EM CASA
FICHA TÉCNICA
Concepção, texto, atuação e videoarte: Maria Rezende
Produção e operação de vídeo: Livian Das Valias
Assistência de produção: Vicente Pessoa
Fotografias do cenário: Ana Alexandrino
Figurino: Melina Akerman
Ambientação: Lara Cunha
Design: David Lima

SERVIÇO
Local: Casa Rio (Rua São João Batista, 105 – Botafogo)
Telefone: (21) 2148-6999
Dias e horários:  25 e 26 de outubro (quarta e quinta) às 21h.
Ingressos: R$40. Pagamento em dinheiro ou cartão de crédito.
Lotação: 35
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Funcionamento da bilheteria: em dias de sessão, a partir das 20h.




em são paulo
homenagem ao escritor wladyr nader,
fundador da revista escrita


Sábado, 28 de outubro, na Casa das Rosas (Av. Paulista, 37). Evento com a presença dos escritores Roniwalter Jatobá, Luiz Ruffato, Luiz Roberto Guedes entre outros ilustres amigos e admiradores.




suíte 136
de virna teixeira


26 de outubro | às 19h30 | Sabiá Bar e Restaurante: Rua Purpurina, 370 – Vila Madalena.

Virna Teixeira nasceu em Fortaleza, é poeta, tradutora, e neurologista. Suíte 136 surgiu de suas experiências trabalhando em hospitais psiquiátricos em Londres, onde vive atualmente. A plaquete faz parte da coleção Poesia Atlântica, coordenada por Vanderley Mendonça, no selo Demônio Negro. Virna Teixeira publicou três títulos de poesia escocesa no Brasil, várias plaquetes, três livros de poesia, e A Terra do Nunca é Muito Longe pela Não Edições em Lisboa (2014) com uma reedição bilíngue em 2016. Ela desenvolve atualmente um trabalho editorial na Inglaterra com a Carnaval Press.




o feminino habitado no museu-casa
guilherme de almeida







em porto alegre
subir ao mural,
de ronald augusto


13 de novembro de 2017 | às 20h | Armazém Água de Beber:
Rua Vigário José Inácio, 686 – Centro Histórico

Pré-venda, clique aqui.
Mais informações, clique aqui.




em belo horizonte
amorável,
de rosana simões







eventos de novembro
da academia mineira de letras


Rua da Bahia, 1466 - Centro