18 de dez de 2014

em são paulo
o universo graciliano
direção: sylvio back


 

LANÇAMENTO NACIONAL DE
 "O UNIVERSO GRACILIANO"


Com lançamento nacional exclusivo em São Paulo, no Caixa Belas Artes, estreia hoje, dia 18 de dezembro, O Universo Graciliano (2013), novo filme do premiado cineasta Sylvio Back (de Aleluia, Gretchen; Cruz e Sousa; Lost Zweig e o recente O Contestado — Restos Mortais).

Fruto de vasta pesquisa literária e de campo (ouvindo contemporâneos, resgatando locais e arquivos que pareciam perdidos), em Buíque (PE), Quebrangulo, Viçosa, Palmeira dos Índios e Maceió (Alagoas), e no Rio de Janeiro, onde morou até a morte, O Universo Graciliano procura dar visibilidade a rastros, sombras e escombros memoriais em torno de Graciliano Ramos (1892-1953), autor de romances "clássicos" como São Bernardo, Vidas Secas e Angústia.


Perfil polêmico

É o primeiro filme sobre a vida-obra-e-morte do genial escritor alagoano. Articulados a inéditos registros cinematográficos, fotos e músicas dos anos 1930, amigos e parentes (entre outros, Oscar Niemeyer, Lêdo Ivo, a filha Luiza Amado, o advogado e confidente Paulo Mercadante) retraçam, munidos de soberbas lembranças, o polêmico perfil existencial, político, moral e literário de Graciliano Ramos.

[Oscar Niemeyer nas filmagens, por Antonio Luiz Mendes]

Na definição de Back, Graciliano Ramos é um autêntico "gênio da raça", como se diz popularmente. Enaltecido pelo público e pela crítica como um dos maiores romancistas brasileiros, assevera o diretor de O Universo Graciliano, "sua biografia chega ao cinema através de uma linguagem instigante que mescla memória, história e obra, procurando desvendar a alma do criador em suas múltiplas criaturas".


Ficha técnica

O Universo Graciliano, com pesquisa, roteiro e direção de Sylvio Back, é uma produção da Usina de Kyno e da Anjo Azul Filmes, com câmara e fotografia de Antonio Luiz Mendes; som-direto de Juarez Dagoberto; direção de produção/montagem  de PH Souza; letreiros e cartaz de Fernando Pimenta; e produção executiva de Margit Richter. Sua realização é fruto de incentivos fiscais da Lei do Audiovisual (Agência Nacional do Cinema - ANCINE), através do patrocínio da PETROBRAS, BNDES e do Banco do Nordeste (BNB).

A destacar a trilha sonora do filme constituída, exclusivamente, com músicas de compositores alagoanos, a saber, Heitor Cardoso, Misael Domingues, Tavares de Figueiredo e Ivo Cruz, executadas ao piano pelo maestro Joel Bello Soares, sendo que cartaz e letreiros de O Universo Graciliano são assinados pelo designer Fernando Pimenta.


Biobibliofilmografia

[Sylvio Back, por Frederico Mendes]

Sylvio Back, cineasta, poeta, roteirista e escritor. Filho de imigrantes hún­garo e alemã, nascido em Blumenau (SC). Ex-jornalista e crí­tico de cinema, au­todidata, inicia-se na direção cinematográfica em 1962, tendo realizado e produzido até hoje trinta e oito filmes – entre curtas, médias e doze longas-metragens: Lance Maior (1968), A Guerra dos Pe­lados (1971), Ale­luia, Gretchen (1976), Revo­lução de 30 (1980), Repú­blica Gua­rani (1982), Guerra do Bra­sil (1987), Rádio Auriverde (1991), Yndio do Brasil (1995), Cruz e Sousa — O Poeta do Des­terro (1999); Lost Zweig (2003); O Contestado — Restos Mortais (2010); e O Universo Graciliano (2013).

Publicou vinte e dois livros (poesia, contos, ensaios) e 10 argu­men­tos/roteiros de seus filmes. Em 1986, publica o primeiro livro de poemas, O Ca­derno Eró­tico de Sylvio Back, seguidos por Moedas de Luz, A Vinha do De­sejo, Yndio do Brasil (Poemas de Filme), bou­doir, Eurus, Traduzir é poetar às avessas (Langston Hughes traduzido), Eurus bilíngue (português-inglês), kinopoems (@-book), As mulheres gozam pelo ouvido, e Quermesse — obra erótica reunida (Topbooks, RJ, 2013).

Com 76 láureas nacionais e internacionais, Sylvio Back é um dos mais premiados cineastas do Brasil:
2007 – Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa pelo Governo de Santa Catarina;
2011 Insígnia de Oficial da Ordem do Rio Branco do Ministério das Relações Exteriores pelo conjunto da obra cinematográfica e de roteirista;
2012 Eleito para o PEN Clube, tornando-se o primeiro cineasta brasileiro a integrar o prestigioso organismo internacional;
2013 Comenda de Cavaleiro da Ordem do Mérito Palmares do Governo de Alagoas pelos "relevantes serviços prestados à sociedade brasileira no campo cultural".

Para assistir ao trailer do filme, clique aqui.